<-- home

Pelo direito de te ofender

Aqueles que pedem respeito perdem o respeito, essa deveria ser uma máxima da sociedade no século XXI. Quantas vezes você não ouviu, se não praticou, o: “… você me ofendeu … “ ou … eu quero respeito… “? O conceito que as pessoas não podem ser ofendidas é ridículo e responsável por grande parte dos problemas no mundo.

Quando você pede respeito você está em outras palavras dizendo: não importa o que você esteja me falando, não aceito e não quero ouvir novamente, fim de diálogo. Pior que isso, quando você reserva o direito de não ter suas ideias “ofendidas” você está validando o mesmo pedido de “respeito” de grupos anti-democráticos, teocráticos, regressistas.

Existem vários grupos de “ofendidos” que estão causando miséria desnecessária no mundo. Por exemplo, o desejo de alguns alunos de criar “espaços seguros”. Onde qualquer ideia que não seja de agrado é rotulada como ofensiva e silenciada. Logo nas universidades cuja a existência se baseia na busca da verdade no questionamento de ideias. Ou então os ataques aos cartoonistas na Europa por extremistas muçulmanos pedindo “respeito” ao profeta.

Toda a verdade passa por 3 estágios. Primeiro ela é ridicularizada, depois violentamente oposta, depois é aceita como auto-evidente. (não lembro o autor)

Na história da humanidade são inúmeros os casos onde o progresso só foi feito pois alguém não se importou em ofender outrém. Imagine se Galileu tivesse “respeitado” a visão da igreja na hora de formular o heliocentrismo? Imagine se Lincoln tivesse “respeitado” a vontade do sul escravagista?

A única forma de se haver progresso como sociedade é através do diálogo. Quando o diálogo tem que ser condicionado pelos sentimentos de alguém o progresso está comprometido. A pessoa que está se sentindo ofendida pode muito bem estar enganada e ofendida. Como pessoas que acham que a Terra tem 6 mil anos e entendem que esse ensinamento é parte crucial da sua identidade. Ou então a pessoa pode estar acostumada com uma cultura onde a subjugação das mulheres é comum e achar que qualquer crítica a sua cultura é um ataque a sua identidade.

São muitos os casos onde não ofender alguém é pernicioso para o bem estar da humanidade no geral. Sendo assim, temos que reservar o direito de nos expressarmos, de ofender.

Vou além, reservo o direito de chamar alguém de idiota. Normalmente não faço isso por uma questão de estilo, e por achar que não ajuda a convencer essa pessoa de coisa alguma. Mas ainda faz parte do repertório retórico do livre arbítrio que é de direito de todos.

Sou quase um absolutista do direito de expressão. Note o “quase”. Acho que quando alguém corre risco físico por causa da expressão de outra existem ressalvas. Um jornalista revelando o endereço de uma pessoa procurada por assassinos é onde o direito de expressão de um afeta a segurança do outro.

Por fim, entenda que más ideias só são combatidas com boas ideias. Não é com bombas que vamos salvar o mundo do islamismo. É através dos reformistas que vão colocar a vida em risco pra falar o que precisa ser falado. E enquanto você não reconhecer o direito de ofender você é parte do problema.

Na próxima vez que você ficar tentado em pedir respeito pra alguém entenda que você é que deveria respeitar o direito da outra pessoa falar o que ela quer. Esse é um pilar onde se escora grande parte do progresso da humanidade e dos valores que estimamos nas sociedades democráticas.